Bem-vindo.
Busca:
  Resultado de Exames
Santa Casa
Diretoria Santa Casa
Divisão Médica
Alta Complexidade
Serviços Complementares
UTIs
Urgência e Emergência
Convênios
Hotelaria
Internações
Visitas
Alta Hospitalar
Voluntariado
Imprensa
Ouvidoria
Notícias
Links
Licitações
Resultado de Exames Laboratório
Curriculo Uso Interno
 
Dicas de Saúde
Veja a listagem completa de Dicas de Saúde
Cálculo Renal

São formações endurecidas, popularmente conhecidas por "pedras". Quando se originam nos rins são chamadas de cálculos renais, se começam na bexiga: cálculos vesicais.

Causa -
 
Os cálculos podem ser formados pelo acúmulo de sais na urina, deixando-a muito saturada, ou devido ao fato dela não possuir os inibidores usuais da formação de cálculos. Entre estes fatores estão:
 
   - Volume insuficiente de urina, ou urina supersaturada de sais;
  - Grande quantidade de cálcio, fosfatos, oxalatos, cistina, ou falta de citrato;
  - Distúrbios metabólicos do ácido úrico ou da glândula paratireóide;
  - Infecções urinárias;
  - Alterações anatômicas;
  - Obstrução das vias urinárias.


Principais sinais e sintomas -

Quando os cálculos são pequenos podem ser assintomáticos. Mas, a movimentação deles no trato urinário geralmente provoca dor e desconforto. Os cálculos que obstruem o ureter, a pelve renal ou qualquer um dos seus tubos de drenagem podem causar dor lombar ou uma dor tipo cólica intensa (cólica renal ou nefrética). Se os cálculos estiverem na bexiga, podem causar dor na região abdominal inferior. Também são sintomas da doença náusea, vômito, distensão abdominal, calafrios, febre, sangue na urina, além do desejo freqüente de urinar, principalmente durante a passagem de um cálculo pelo ureter.

Complicações -

Os cálculos podem prejudicar o funcionamento do sistema urinário de várias maneiras. Entre os problemas estão a infecção do trato urinário, que pode ser causada pela obstrução do fluxo urinário e conseqüentemente de bactérias da urina no organismo, outra complicação é a urina refluir para o rim, devido um bloqueio prolongado de um cálculo. Essa pressão pode dilatá-lo (hidronefrose) e até causar uma lesão renal.

Tratamento -

Há diferentes tratamentos dependendo do grau de produção de cálculo renal ou do tamanho das "pedras". Se os cálculos forem bem pequenos e não provocarem dor ou desconforto, não é necessária nenhuma intervenção, somente aguarda-se que sejam eliminados naturalmente. Mas, se houver uma produção contínua desses cálculos, recomenda-se que eles sejam encaminhados para exames com o intuito de averiguar sua composição e origem e permitir então tratamentos mais específicos, incluindo uma dieta alimentar apropriada.

Quando os cálculos estão obstruindo a passagem da urina ou provocando muitas cólicas renais, podem ser necessários procedimentos cirúrgicos para sua remoção, como a ureteroscopia por via endocóspica, que permite retirar os cálculos localizados no ureter, ou a cirurgia percutânea. A litotripsia extracorpórea também pode ser indicada. Essa técnica bombardeia as pedras por ondas de choque para fragmentar os cálculos e tornar mais fácil a eliminação pela urina.

Durante as crises de cólica renal, devem ser administrados analgésicos e antiinflamatórios potentes para aliviar a dor, que pode ser extremamente forte.

Prevenção

Descobrir a causa dos cálculos e fazer o tratamento adequado previne a formação de novas pedras. O consumo de muita água, de dois a três litros ao dia, também ajuda a evitar o cálculo renal.

 

Página Anterior
Santa Casa de Araçatuba: Geral (18) 3607-3000 / Informações (18) 3607-3022